Vídeo Resumo da 2ª Etapa


Louletano domina etapa e Luís Mendonça chega em segundo

Domínio do Aviludo-Louletano no sprint de Portalegre. De Mateos ganha e Luís Mendonça fica em segundo.

Vicente de Mateos ganha em Portalegre

Vicente de Mateos vence a etapa mais longa da Volta 2018, impondo-se no sprint de Portalegre.

Aviludo surge na cabeça da corrida

A 6 km da chegada, a Aviludo-Louletano chega à cabeça do pelotão.

Amore & Vita lidera pelotão a 10 km da chegada

A 10 km da chegada, novos protagonistas nacabeça do pelotão: Amore & Vita.

Vito-Feirense passa a liderar pelotão

A 15 km da chegada, a equipa Vito Feirense passa a liderar o pelotão, no intuito de colocar bem João Matias para o sprint de Portalegre.

Pelotão compacto a 18 quilómetros da meta

Km 184,5 - Termina a aventura dos fugitivos. Estiveram longe do pelotão durante mais de 180 quilómetros.

Sexteto da Caja Rural ao trabalho e fuga anulada

Km 183 - Os seis corredores da Caja Rural trabalham na cabeça do pelotão e a fuga é anulada. No entanto, Blanco e Ribeiro ainda tentam manter-se à frente.

Pelotão a um minuto a 25 km da meta

Km 178 - A 25 km da meta, o pelotão rola com apenas um minuto de desvantagem.

Após vitória na meta volante Azman come a sétima banana

Depois de ganhar a meta volante, Azman come a sétima banana do dia...

Quinta hora ultrapassada

Km 175,3 - Chegámos à quinta hora na etapa. A média é de 35 km/hora.

Azman faz três em três nas etas volantes

Km 174,9 - Meta volante em Monforte:

1.º 31 - Muhamad Azman (Team Sapura)

2.º 183 - David Ribeiro(LA-Alumínios)

3.º 177 - Samuel Blanco (Liberty eguros-Carglass).

Azman ganha as três metas volantes do dia. 

Quarteto resiste

Km 168,5 - A 35 km da meta final, a vantagem cifra-se nos 1.38 minutos.

Um minuto e meio a 40 km da chegada

Km 163,5 -A 40 km da meta final, a vantagem do quarteto de heróis é de 1.30 minutos.

1.41 minutos a 45 km da chegada

Os fugitivos passam na placa indicativa de 45 quilómetros para a chegada a Portalegre com um avanço de 1.41 minutos.

Azman já ingeriu seis bananas

Na frente da corrida, os quatro corredores vão-se alimentando e bebendo, mas o malaio Azman destaca-se pela fome de... bananas. Em 150 quilómetros ingeriu seis!

Pelotão aproxima-se do quarteto

Km 148,5 - Caja Rural ao trabalho na cabeça do pelotão e a desvantagem a descer: 1.50 minutos

Vantagem de 2.27 minutos em Estremoz

Km 145 - Na passagem por Estremoz, o quarteto pedala com uma vantagem de 2.27 minutos sobre o pelotão.

Média desce para 35 km/hora

Km 140 - A etapa mais longa atinge a quarta hora e a média baixa para 35 km/hora. O calor não dá para mais...

Chuveiro para todos

Km 135 - Corredores aproveitam água de mangueira para se refrescarem. A temperatura continua bem acima dos 40 graus. Os fugitivos voltam a aumentar a vantagem, para 2.40 minutos. 

2.17 minutos em Borba

Km 133 - Na passagem por Borba, o quarteto leva 2.17 minutos de vantagem sobre o pelotão.

Azman ganha meta volante de Vila Viçosa

Km 128,6 - Meta volante em Vila Viçosa:

1.º 31 - Muhammad Azman (Team Sapura)

2.º 183 -David Ribeiro (LA-Alymínios)

3.º 154 - Andrea Ruscetta (Mstina Focus).

Pelotão acelera e passa a 2.05 minutos na meta volante.

Diferença estável durante 100 quilómetros

Km 123 - A diferença do quarteto para o pelotão praticaente igual há uma centena de quilómetros: 3.10 minutos.

Média horária mantém-se

Km 109 - Terceira hora da viagem mais longa. Os corredores mantêm a média de 36,3 km/hora. 

Recordamos os nomes, os números as nacionalidades e as equipas dos quatro heróis da etapa mais longa:

31 - Muhammad Azman (Malásia, Team Sapura Cycling)

154 - Andrea Ruscetta (Itália, Mstina Fotus)

177 - Samuel Blanco (Espanha, Liberty Seguros-Carglass)

183 - David Ribeiro (Portugal, LA Alumínios).

Km 103 - A tirada entrou na segunda metade, com os fugitivos a pedalarem com uma vantagem de 3.51 minutos sobre o grande grupo.

Fugitivos ganham um minuto em cinco quilómetros

Km 98,5 - Em cinco quilómetros, o quarteto aumenta a vantagem para o pelotão em um minuto, de 3.10 para 4.10 minutos. Entretanto, a temperatura sobe para os 45 graus.

Km 85 - Diferença de tempos estabilizada nos 3.10 m. Apesar de ter menos um elemento (Joaquim Silva abandonou durante a primeira etapa), a Caja Rural controla a fuga à distância.

Segunda hora de prova

Km 72,7 - Com Reguengos de Monsaraz à vista, as posições relativas mantêm-se, com o pelotão a 3.10 minutos dos quatro aventureiros. Entretanto, é atingida a segunda hora de prova, numa média de 36,3 km/hora.

Km 65 - Vantagem dos quatro cifra-se nos 3.18 minutos. Caja Rural comanda pelotão. A temperatura sobe para os 42 graus, na passagem da ponte da albufeira do Alqueva.

Km 50 - Praticamente com um quarto da etapa percorrido, os quatro aventureiros seguem com 3.10 minutos de vantagem sobre o pelotão, sempre comandado pela Caja Rural, do camisola amarela Rafael Reis. 

Vantagem de três minutos

Km 45 - Quarteto recebe um banho de mangueira, para refrescar, quando pedala com uma vantagem de três minutos.

Primeira hora de prova

Km 35,5 - Cumprida a primeira hora da etapa. O quarteto leva uma vantagem de 3.10 minutos.

KM 26: Meta Volante - Vidigueira

1º Muhammad Azman (31, Team Sapura Cycling) 

2º David Ribeiro (183, LA Aluminios)

3º Samuel Blanco (177, Liberty Seguros/Carglass)

Km 22,5 - Quarteto com vantagem de 2.50 minutos.

Quatro fugitivos

Km 20 - Logo nas primeiras pedaladas quatro corredores escapam-se ao pelotão. São eles Muhammad Azman (31, Team Sapura Cycling), Andrea Ruscetta (154, Mstina Focus), David Ribeiro (LA Alumínios) e Samuel Blanco (177, Liberty Seguros/Carglass)

Km 0 - Partida real da etapa mais longa da Volta 2018 acaba de ser dada.

Etapa sem contagens de montanha

A etapa percorre terrenos planos e não tem contagens de montanha. Teremos apenas três metas volantes: Vidigueira (km 26), Vila Viçosa (km 128,6) e Monforte (174,9).  

Rafael Reis parte de amarelo

Rafael Reis (Caja Rural-Seguros RGA) veste a camisola amarela Santander durante a segunda etapa. Os outros detentores das camisolas principais são: Azul (montanha, Liberty Seguros) - Mario Vogt (Team Sapura); Verde (Pontos, Rubis) - Riccardo Stacchotti (Mstina-Focus); Branca (Juventude, RTP)  - César Martingil (Liberty Seguros-Carglass).

Caravana em movimento, com a partida simbólica em Beja.

Uma baixa à partida

Na linha de partida estão 129 corredores. Não alinha o dinamarquês Louis Bendxen (Team Coop), que tinha sido o terceiro mais rápido no prólogo de Setúbal.

A etapa mais quente

Do Baixo ao Alto Alentejo espera-se a etapa mais quente da prova, com temperaturas bem acima dos 40 graus.

Tudo preparado para a partida da segunda etapa da Volta 2018, a mais longa desta edição, com 203,6 quilómetros entre Beja e Potalegre.